Contactos Úteis

Bombeiros

272 680 170                                    

Urgência 24 horas

112

Protecção Civil  

117

GNR  

272 682 311

Centro de Saúde de Oleiros

272 680 160    

Correios do Orvalho  

272 746 399

Contactos

Centro Social do Orvalho
Bairro do Lameiro
6185-307 ORVALHO

 

Tlf.: +351 272 746 335 

E-Mail: geral@cs-orvalho.org

Historial

HISTORIAL DO CENTRO SOCIAL Pe. TOMÁS D’AQUINO V. AZEVEDO, DESDE 06/09/1950 ATÉ 20/02/2012, ESCRITO POR ANTÓNIO RAMOS PEDRO NATÁRIO

Por testamento datado de 06/09/50, o nosso falecido conterrâneo, Padre Tomás D’Aquino Vaz de Azevedo, deixou parte dos seus bens, ao seu sobrinho João Cardoso Vaz Azevedo, se viesse a ter filhos. Caso não os tivesse até à morte do doador, ficariam os referidos bens para a freguesia de Orvalho, desde que aqui fosse criada uma obra de âmbito social. Se nem uma nem outra hipótese se verificasse, os bens em causa, reverteriam a favor do Seminário da Diocese de Portalegre e Castelo Branco.

Como o sobrinho do doador não teve filhos, para não desperdiçar a segunda hipótese, no dia 27/04/79, foi por um grupo de Orvalhenses celebrada a escritura pública para a constituição de uma Associação. Assim, no dia 01/05/79, foi eleita uma Comissão Instaladora, no sentido de dar seguimento à vontade expressa, pelo falecido Padre Tomás, com os seguintes elementos: Dr. Fernando Dias de Carvalho, António Xavier Gomes, Ângelo Rodrigues de Lima, José Simão Fontes e Horácio Lima Natário, que decidiram dar à Instituição o nome de Centro Social Pe. Tomás D’Aquino Vaz de Azevedo. Foi com estes elementos que se legalizou a Associação junto das Entidades Oficiais, que nos concederam o estatuto de Utilidade Pública.

Em 08/01/81 foram eleitos para os Órgãos Sociais os seguintes elementos: Ass/ Geral, Dr. Adelino de Lima Natário, Maria Augusta Neto Rodrigues de Lima e Alzira da Conceição Antunes Rodrigues. C. Fiscal, Roberto Dias Lopes Urbano, Abel Dias e José Dias da Conceição. Direcção, os mesmos da Comissão Instaladora.

Para se adquirir o terreno onde foi construído o 1º edifício, foi necessário alienar alguns bens, dado que a recém-criada Associação não tinha quaisquer fundos. Foi também pela mesma Direcção apresentado um projecto à Gulbenkian, que não se dignou contribuir com qualquer verba para o desejado Centro de Dia.

Em 06/02/85, com a saída do Tesoureiro, Ângelo Rodrigues de Lima, fui convidado para o seu lugar, sendo-me dada total autonomia, no sentido de desenvolver as necessárias diligências para o que se pretendia. Porque o projecto que existia era pouco ambicioso, mandei executar outro com perspectivas para LAR, que foi apresentado na Segurança Social, onde foi aprovado e subsidiado.

Em 25/06/89 com a presença de várias Individualidades e habitantes da nossa freguesia, foi lançada a primeira pedra pelo Senhor Director do Centro Regional de Segurança Social de Castelo Branco, Dr. José da Cruz Penedo, pessoa a quem muito devo, pelo extraordinário apoio que sempre me dispensou.

As obras de construção, foram executadas por administração directa, sob a minha orientação e concluídas em Outubro de 1990, embora, por motivos que não dependiam de nós, a prestação de serviços à comunidade, se iniciasse apenas em 01/04/91.

A sua inauguração teve lugar no dia 11/04/92, com a presença do Senhor Secretário de Estado da Segurança Social, Dr. José Luís Vieira de Castro, altas Individualidades do Distrito, população da freguesia de Orvalho e das freguesias circunvizinhas.

A Mesa da Assembleia Geral tem sido Presidida desde 08/01/81, pelo Dr. Adelino de Lima Natário, de forma inigualável, secretariado nos diversos mandatos por vários elementos, sendo de destacar o Dr. Fernando Lima, que desde 10/03/90 tem feito parte dos órgãos sociais, quer na Assembleia Geral, quer na Direcção. Esta foi Presidida, desde 08/01/81 até 23/12/95 pelo Dr. Fernando Dias de Carvalho, acompanhado por mim e por Horácio de Lima Natário, António Xavier Gomes e Ângelo Rodrigues de Lima e outros.

A partir de 23/12/95, passei a Presidir à Direcção, acompanhado em vários mandatos por: António Xavier Gomes, Pe. Joaquim Henriques Pereira, Celestino Trindade Custódio, Alzira da Conceição Rodrigues, Luzia Alves Dias, Ilídio Pedro Pires, Maria Batista Brás Urbano, Francisco Robalo Gonçalves e José da Cruz Rodrigues, os quatro últimos, até final deste mandato (31/12/2012), se houver saúde.

O Conselho Fiscal foi Presidido ao longo dos anos por Roberto Dias Lopes Urbano, Abel Dias Xavier, Eduardo Manuel Moreira Vieira e Celestino Trindade Custódio.

Construído o Centro de Dia, porque desde o início, o que pairava na minha cabeça, era já um LAR para Idosos. Ciente das dificuldades que teria de ultrapassar, abandonei a actividade que desenvolvia e lancei-me de alma e coração nesta luta que durou vários anos, sem nunca perder a esperança de conseguir o que pretendia.

É-me difícil descrever a felicidade que senti, ao receber do Senhor Director da Segurança Social de Castelo Branco, Dr. José da Cruz Penedo, em 16/03/96, a tão desejada notícia para execução do projecto para LAR, sugerindo que fosse dado à nova Valência o nome de Centro de Apoio Comunitário.

De imediato, de acordo com os restantes elementos da Direcção, encomendei o projecto para uma capacidade máxima autorizada de 36 camas que, depois de concluído, foi submetido aos vários departamentos Estatais, tendo sido aprovado e subsidiado em 50%, através do Programa I.D.L., em Fevereiro de 1997.

Em Julho desse mesmo ano, deu-se início à sua construção, por adjudicação a Construções Beira Algarve. Após o início da obra, depois de informar os meus colegas de Direcção aquilo que pretendia, pedi uma Assembleia Geral, para, sem autorização Estatal, me autorizarem a construção de mais um piso, dada a imensa necessidade de camas nesta zona, autorização que foi concedida.

Assim, confiando que os Órgãos do Poder Central acabariam por reconhecer o mérito da alteração, foram erguidas as paredes exteriores para mais um piso, para quando houvesse verba, se poderem implantar tantos quartos como no r/c. As obras do projecto inicial mais as paredes exteriores para o referido piso, ficaram concluídas em Setembro de 1998.

Por proposta da Direcção, subscrita pela Mesa da Assembleia e Conselho Fiscal, foi em Assembleia Geral deliberado, por unanimidade, com a excepção do meu voto, atribuir àquele equipamento o nome de Centro de Apoio Comunitário António Ramos Natário, o que muito me sensibilizou, pois não estava à espera de tão agradável e honrosa surpresa.

Porque vi, mais que reconhecido todo o meu esforço, perante os presentes disse: podem ter como certa a minha continuidade à frente dos destinos desta casa, enquanto Deus me der saúde física e mental e cá me queiram. Na verdade, o prometido está a ser cumprido, pois no dia 06/02/2012, fiz 27 anos de entrega total a esta nobre causa, o que faz de mim um homem extremamente feliz.

A prestação de serviços na Valência de Lar, iniciou-se em 07/10/98, embora a inauguração do edifício se verificasse apenas em 07/08/99, com a presença do Senhor Secretário de Estado da Segurança Social, Dr. António Rui Cunha, outras altas Individualidades, imensos convidados, bem como todos os conterrâneos que quiseram assistir. A capacidade do Centro de Apoio Comunitário A.R.N, é agora de 62 camas e todos reconhecem que teria sido um erro colossal não aceitar a proposta que fiz, para mais um piso.

Porque parar é morrer e a carência de camas nesta zona, continuava a ser enorme, construiu-se uma nova unidade de Lar de Idosos, que se designou Centro de Apoio Comunitário II (CAC II), para mais 36 camas, onde, incluindo todo o equipamento, se gastaram cerca de € 1.500.000. Para tal, recebemos do Município de Oleiros o subsídio de € 150.000 mais o terreno onde foi construído e ainda outras ajudas. Do Governo não tivemos qualquer apoio, embora tivéssemos apresentado candidatura à primeira e segunda fase do Programa PARES. Da boa gente da nossa freguesia e vários amigos, tivemos a já habitual generosidade, excluindo quatro ou cinco pessoas...

Ainda com a obra em construção, fui abordado pela ARS Centro, no sentido de lhes disponibilizar um dos pisos para Unidade de Cuidados Continuados Integrados (UCCI), sendo a minha resposta, um não. Porém, com o orgulho de deixar a nossa terra com mais uma importante Valência, depois de manifestar aos Órgãos Sociais a minha vontade de ceder ao solicitado, recebi de todos o maior apoio possível, bem como dos meus familiares, que mais uma vez não me contrariaram. Assim, resolvi submeter-me ao maior e mais importante desafio, desde que estou ao leme desta enorme NAU, porventura o mais difícil.

Avancei com o projecto, no pressuposto de que o subsídio, seria pelo menos, de 50 ou 60%, o que não se verificou. Da parte do Governo, tivemos apenas um apoio de € 750.000 e do Município de Oleiros € 250.000, para um investimento que depois de concluído e equipado, ronda os € 3.000.000. A obra está concluída desde Julho de 2011. mas, devido a eleições, mudança de Governo, etc, abriu apenas em 14/03/2012, tendo sido inaugurada pelo Senhor Secretário de Estado Adjunto do Ministro da Saúde, Dr. Fernando Leal da Costa, outras altas Individualidades, imensos convidados, bem como todos os conterrâneos que quiseram assistir.

A nossa acção tem-se desenvolvido apenas no sentido dos mais idosos, porque nesta zona, por enquanto, não há hipótese de outras valências, mas estamos certos que dentro de 10/15 anos, no máximo, pelo aumento da natalidade que se verificará devido às condições de emprego criadas, será necessário construir uma Creche.

Há duas ou três obras que eu ainda gostava de construir, dado o volume da Instituição que são: uma Lavandaria devidamente equipada, um Auditório adequado à dimensão das Valências existentes e a já referida Creche mas, a idade não perdoa. Por isso, fica lançada a ideia para quem me substituir. Se me é permitido, deixo ainda um conselho. Quem vier, que não espere ter em caixa dinheiro para as obras que entenda fazer. Isto porque por experiência própria, posso afirmar que se eu esperasse ter dinheiro disponível e suficiente para as obras que fiz, não teria ido além do CENTRO DE DIA. É evidente que não devemos entrar em loucuras.

Última nota: tudo o que tenho conseguido por, para esta casa, devo-o, em primeiro lugar a Deus, pelas faculdades que me deu e ao extraordinário apoio da minha FAMÍLIA, em particular a minha MULHER que é a principal vítima, sem nunca me contrariarem, por me saberem FELIZ. Obrigado pela paciência!

Orvalho, 27 de Março de 2012

Meteorologia
Castelo Branco
Subscrever Newsletter

© 2012 Centro Social do Orvalho - Todos os direitos reservados - Design e Desenvolvimento por Eclipse Digital
Optimizado para Chrome, IE 8 e Firefox 4+